Escrito nos raros momentos de folga de uma jornada fatigante.

Consulte o dicionário do cinismo, no rodapé do blog.

Divulgação literária e outros babados fortes

Versos cretinos, crônicas escrotas e contos requentados. O resto é pura prosa.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Contaproprismo


O contaproprismo ideológico

Em Cuba, depois de constatar o fracasso da economia, o governo abriu as portas para a expansão do contaproprismo. Isso significa que, em determinados ramos, o cubano já pode criar uma empresa privada, contratar funcionários, receber financiamento do Estado e até desfilar como contaproprista no Primeiro de maio.
No meu tempo, pensava-se que a pequena empresa gerava espontaneamente o capitalismo e sua existência só era admitida como uma etapa transitória a ser rapidamente superada. Agora, depois de 50 anos de processo revolucionário, elas passaram a ser parte da solução.
No campo ideológico, depois de constatar o fracasso do socialismo real, resolvi abrir minha própria empresa, com direito a aliciar seguidores (sem financiamento de qualquer estado), de desfilar no Primeiro de Maio e ter carteirinha da Mancha Vermelha.
Cansado de ser rotulado, estabeleci-me por conta própria. Em um grupo sou apedrejado porque não apoio o governo Dilma e chamado de tucano, porque não sou petista. Noutro, sou lapidado por conta de Stalin, e chamado de reformista, porque defendo socialismo com democracia. Aí, quando fico contra as reformas chinesa e cubanas, sou chamado de trotskista. Daí a burguês (grande e pequeno), passando pelos elogios de praxe a minha progenitora, é um pulo.  
Agora sou Marquista Lisboeta. Estou por conta própria. Compro e vendo de quem eu quiser e para quem eu quiser.  Para os totalitários ofereço um Estado que respeite a esfera moral, ética, filosófica e sexual de cada um; para os liberais, democracia direta e participativa, sem o direito a propriedade privada dos bens de produção.

Para quem quiser me constranger em nome de alguma possível ortodoxia, aponto 40 anos de briga de foice e martelo no escuro, começando com o relatório Khrushev e acabando com o grande sincretismo, que hoje unifica a Mancha Vermelha.
Minha mercadoria tem um diferencial: procedência garantida, com citação das fontes. Os dados que porventura não sejam corretos, terão direito a retificação e o freguês terá reconhecida a sua razão, se a reclamação for procedente. Ofereço ainda um serviço gratuito: onbudsman de Face Book. Sou um googlador rápido e eficiente e tenho um faro apurado para citações falsas, notícias inverídicas e empulhações em geral. Modéstia não vem incluída no pacote.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Ex-delegado revela que militares incineraram corpos de militantes - Portal Vermelho

Ex-delegado revela que militares incineraram corpos de militantes - Portal Vermelho
A repressão além de assassinar opositores, liquidou também seus torturadores e apoiadores, numa operação de queima de arquivo. É o caso de Fleury e Baungarten. Será que estes casos também estão abrangidos pela interpretação de que seriam crimes conexos, pela interpretação estapafúrdia que o STF deu à Lei da Anistia? Muitos torturadores poderiam ser condenados hoje pela prática de crimes comuns, já que eram um poder paralelo que não se submetia a nenhuma lei.