Escrito nos raros momentos de folga de uma jornada fatigante.

Consulte o dicionário do cinismo, no rodapé do blog.

Divulgação literária e outros babados fortes

Versos cretinos, crônicas escrotas e contos requentados. O resto é pura prosa.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Perguntas que não querem calar

Respondam por favor,

1) Quais foram os termos do acordo que permitiu aos traficantes saírem do Morro do Alemão?
2) O que vale mais para a "sociedade": 100 carros queimados ou uma meia dúzia de favelados mortos no fogo cruzado?
3) Em quem os traficantes mandaram os moradores do Morro do Alemão votar para Governador e Presidente?
4) Qual foi o dispositivo constitucional que suspendeu a inviolabilidade do domicílio no Morro do Alemão? Ou será que barraco de favelado não é domicílio? 
5) Quando é que começa a limpeza dos policiais que recebem propina dos traficantes, repassam armas e devolvem a droga apreendida? Ou será que só tem mocinho nas forças do bem?
6) O que vai ser feito com a grana apreendida? E com a droga?
7)  Quando é que começa o combate às Milícias?
8) Quando é que as autoridades desse país vão começar a falar sério?
E cá entre nós, como tem traficante bundão no Rio. Um país em que prostituta goza, cafetão se apaixona e traficante cheira, não pode dar certo.


domingo, 28 de novembro de 2010

De volta às lides literárias

Laptop novo, arquivos transferidos com sucesso, estou de volta. Dia 11 de dezembro, tomo posse na Academia de Letras de Teófilo Otoni como membro correspondente. Meu amigo Luiz Lyrio também já teve essa honra. O livro sobre o Araguaia continua em elaboração. Fiz uma entrevista muito interessante com Pedro Albuquerque, que me recebeu muito bem em Fortaleza e que lançou novas luzes sobre o assunto. Mais umas duas entrevistas, estarei em condições de procurar editora. Em breve, publicarei aqui a entrevista com Pedro.
Na foto, Pedro, à esquerda e eu à direita. Sem nenhuma conotação política, esclareça-se.

domingo, 14 de novembro de 2010